Excursão de Campo I: Porto de Galinhas

Os arrecifes de Pernambuco

Etimologia

A palavra “arrecife” tem etimologia  associada  ao árabe  “ár-raçif”,  que  significa  calçada,  caminho  ou  estrada  pavimentada,  vinculada  à forma  arcaica  de recife. O termo tem sido aplicado como sinônimo de recife rochoso (arrecife, arenito praial, rocha praial ou beachrock),  sendo  constituído  de  areias  e  cascalhos  cimentados  por  carbonato  de  cálcio.  É muitas  vezes confundido  pela  população  com  o  termo  “recife  de coral”,  formado  a  partir  do  crescimento  de grande diversidade  de  organismos  coloniais  (corais hermatípicos e algas calcárias).

Formação

Esses arrecifes ou rochas praiais foram originadas a partir de  depósitos  de  areias  litorâneas  regressivas, cimentadas  por  carbonato  de  cálcio,  resultantes  da progradação da linha de costa, depositados em época de nível relativo do mar mais alto que o nível atual. As estruturas  sedimentares  e  a  fauna  malacológica observada  indicam  que  esses  sedimentos  foram depositados entre face de praia inferior e o estirâncio superior.  Após cimentação das areias, a erosão da linha de costa,  associada ao  abaixamento do  nível relativo do mar, resultou na exumação destes depósitos que nos dias atuais afloram na região intermarés. A idade estimada dessas rochas praiais das praias do Pina e Boa viagem, em Recife, por exemplo, estão entre 7.310 ± 60 anos AP  e  5.805  ±  40  anos  (obtida através da datação por C-14 conchas de moluscos dessas rochas).

Ocorrência

Os arrecifes são  frequentes  na  costa  do Nordeste  brasileiro. Em Recife, localizam-se amplamente na linha de costa, abrangendo  as desembocaduras dos rios Beberibe e Capibaribe e as praias de Pina e Boa Viagem. São encontrados também n litoral sul, em Ipojuca, na Praia de Porto de Galinhas (a aprox.. 60km de Recife). A aprox.. 60km de Porto de Galinhas, encontram-se também os arenitos praiais da praia de Muro Alto.  De maneira geral, as rochas praiais,  dispostas  normalmente  paralelas  à  costa  e apresentando  maiores  extensões  junto  a desembocaduras  fluviais,  são  traços  morfológicos  e feições  características  do  litoral  Nordestino.

  Importância histórica

Do ponto de vista histórico, a primeira referência aos  recifes  rochosos  do  Nordeste  brasileiro  foi  feita por  Pero  Vaz  de  Caminha,  escrivão  da  esquadra  do descobridor do Brasil. Charles Darwin em 1841  mencionou  o  recife  da  cidade  de  Recife, chamando-o  “a  remarkable  bar  of  sandstone”. Os arrecifes, permitiram o  aporte  dos portugueses na região, na primeira metade do século XVI  funcionando  como  ancoradouros  naturais  e barreira  de  proteção;  as  embarcações,  provindas especialmente da Europa, ali desfrutavam de um fácil acesso que culminou com o estabelecimento do Porto de  Recife, que foi considerado  pelos  historiadores como  o  mais  importante  porto  da  América  do Sul durante  o  início  do  século  XVII  (1600  a  1630).

Texto adaptado de: Barreto, A. M. F.; Assis, H. M. B.; Bezerra, F. H. R.; Suguio, K. Arrecifes, a Calçada do Mar de Recife, PE. Importante registro holocênico de nível relativo  do mar acima do atual. Sítios Geológicos e Paleontológicos do Brasil. 2010. Disponível em: <http://sigep.cprm.gov.br/sitio040/sitio040.pdf> , acesso em 19/11/18.

 

INSCRIÇÃO:

  • Preencha o formulário abaixo:

https://docs.google.com/forms/d/1JqE2TJl6GyRMGsfEvIKevWfC40AhLgv2H9KAxjkrF3A/edit

  • Aguarde o nosso contato para efetuar o pagamento

Números de vagas disponíveis: 25

Saída: 06/12 às 7:30

Volta: 06/12 às 17h

Local de encontro: Centro de Tecnologia e Geociências – UFPE

Valor: R$30,00 

É OBRIGATÓRIO ESTAR INSCRITO NO EVENTO PARA PODER PARTICIPAR DA EXCURSÃO!